IDOSOS PRATICAMENTE NÃO APRESENTAM SINTOMAS DE HIPERTIREOIDISMO

OBESIDADE MENINOS

3 de maio de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: PERDER PESO-MEDICAMENTO CONTRA DIABETES TEM O DOBRO DA EFICIÊNCIA DOS MELHORES EMAGRECEDORES,


SÃO ESTUDOS EM ANDAMENTO, MAS EXTREMAMENTE PROMISSORES COM RELAÇÃO AO SOBREPESO, OBESIDADE, OBESIDADE VISCERAL, ABDOMINAL. LIRAGLUTIDE, UMA  SUBSTÂNCIA DE AÇÃO PROLONGADA, REDUZ O PESO CORPORAL E INGESTÃO ALIMENTAR IN VITRO PARA OBESOS ALIMENTADOS  COM DOCES, AO PASSO QUE OUTRO MEDICAMENTO MUITO EFICIENTE PARA DIABÉTICOS TIPO 2 , A VILDAGLIPTINA, NÃO. ENTRETANTO AINDA NÃO PODE SER UTILIZADO, POIS SE TRATA DE PESQUISAS EM ESTADO AVANÇADO.


Um medicamento que ainda está sendo testado nos Estados Unidos para o tratamento da diabetes de tipo 2 pode também promover a perda de peso, sobrepeso, obesidade, obesidade visceral, intra - abdominal, central. A substância, chamada liraglutide, foi aprovada no início do ano na Europa para o tratamento da diabetes, e lá já é comercializada. A injeção da substância (subcutânea) simula a liberação da insulina quando os níveis de glicose ficam muito altos no sangue. Ela também ajuda a diminuir o apetite. No estudo feito com a substância, realizado na Dinamarca com 564 pessoas obesas, parte do grupo recebeu a liraglutide (liraglutídeo, em tradução livre), outra parte recebeu um placebo (substância sem atividade terapêutica), e o resto recebeu orlistat - (medicamento existente para diminuir apenas a absorção de quem utiliza gordura (30%)), um medicamento para perda de peso
Todos os participantes receberam uma dieta com aproximadamente 500 calorias a menos do que seria necessário para manter o peso, e aumentaram os níveis de atividade física. Após 20 semanas com o tratamento, as pessoas que receberam o medicamento perderam mais peso que aquelas que tomaram o placebo (substância sem atividade terapêutica). Aquelas que receberam as maiores doses da substância perderam aproximadamente 8 quilos, enquanto aquelas que tomaram o placebo perderam 3, e os que receberam o orlistat emagreceram cerca de 4 quilos e meio. A liraglutide também reduziu a pressão sanguínea em todas as dosagens, e a sua dosagem mais alta também reduziu os sintomas da pré-diabetes, quando os níveis de glicose no sangue são acima do normal, mas ainda não podem ser classificados como diabetes. Os efeitos colaterais mais comuns do medicamento foram náusea e vômitos, e os cientistas afirmam  ter notado que os pacientes não se importam que a droga é injetável. Em termos de conteúdo mineral ósseo (por cento), houve um pequeno mas significativo aumento, comparando LIRAGLUTIDE com vildagliptina. Apesar dos efeitos animadores mostrados pelo produto, George Bray, da Universidade de Louisiana (EUA), afirma que são necessários mais estudos sobre a substância, inclusive para verificar se o uso de um medicamento injetável para a obesidade é viável a longo prazo. O órgão de regulação de medicamentos nos  E.E.U.U., FDA, também levantou dúvidas sobre outros efeitos colaterais, e até ser aprovado para esta finalidade terá que passar muita água debaixo da ponte. 
O que de fato podemos esperar é um grande interesse da comunidade científica no sentido de não permitir que a epidemia que graça a humanidade, matando milhões de pessoas em todo o mundo através do aumento de peso, sobrepeso, obesidade, obesidade visceral, intra - abdominal, central, seja um legado pavoroso que deixaremos para os nossos descendentes, devido aos estragos que essas doenças metabólicas desencadeia como efeito dominó, e vale lembrar que – Se colocarmos a genética como uma arma, o meio ambiente e estilo de vida como a pólvora, a obesidade e o diabetes puxarão o gatilho.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:
1.Tratamento da diabetes de tipo 2 pode também promover a perda de peso, sobrepeso, obesidade, obesidade visceral, intra - abdominal, central?
http://gorduraabdominal.blogspot.com

2. A liraglutide também reduziu a pressão sanguínea em todas as dosagens, e a sua dosagem mais alta também reduziu os sintomas da pré-diabetes? 

http://gorduravisceral.blogspot.com

3. A obesidade pode levar à esteatose (gordura no fígado) hepática? 

http://esteatosehepatica.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.


Referências Bibliográficas:
Agradecidas pela sua ampla assistência técnica: Annette Munch Christensen e Louise Andreassen (trabalho do animal) e Frank Strauss (gasto energético); Pia Rothe e Susanne Primdahl (histologia do pâncreas) e Anne-Juul Grethe, Annemette Petersen, e Lotte Gottlieb Sørensen (ensaios). Gutzwiller JP, Degen L, Matzinger D, Prestin S, Beglinger C: entre o GLP-1 e CCK-33 em inibir o apetite ea ingestão alimentar em homens. Interação Am J Physiol Regul Integr Comp Physiol 287 : R562 , R567, 2004 - Arita Y, S Kihara, N Ouchi, M Takahashi, K Maeda, Miyagawa J, K Hotta, Shimomura I, T Nakamura, K Miyaoka, H Kuriyama, M Nishida, S Yamashita, K Okubo, Matsubara K, M Muraguchi, Y Ohmoto , T Funahashi, Matsuzawa Y: diminuição de uma proteína específica adiposo,-adiponectina na obesidade. paradoxal Biochem Biophys Res Commun 257 : 79 -83, Kreymann B, G Williams, Ghatei MA, Bloom SR: glucagon-like peptide-1 7-36: a incretina fisiológicas no homem. Lancet 2 : 1300 -1304, et al... 









Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/


Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br


Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Seguir no Google Buzz


29 de abril de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: A PREVALÊNCIA DA OBESIDADE


(SOBREPESO, OBESIDADE ABDOMINAL, OBESIDADE CENTRAL, OBESIDADE VISCERAL, DIFICULDADE DE PERDER PESO) NA INFÂNCIA É MUNDIALMENTE RECONHECIDA COMO UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA, ISTO LEVA AO BULLYING QUE É O MAL DO COMEÇO DO SÉCULO 21.


As taxas de prevalência crescente de obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) na infância, são mundialmente reconhecidas como um problema de saúde pública marcante, que compromete a saúde das crianças consideravelmente. Este fenômeno, geralmente ocorre no mundo ocidental, altamente industrializado e é muitas vezes descrito como uma epidemia.
A taxa de prevalência de sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) é de 15% entre 3 a 17 anos de idade, com cerca de 6% de obesos (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso), isto leva ao bullying, entre colegas na escola, e infelizmente irá acompanha-los durante quase toda a vida é o mal do principio do século 21. Há provas contundentes de que o sobrepeso e a obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) estão associados a um risco aumentado de comprometimento da saúde e a expectativa de vida reduzida, isto leva ao bullying que é uma agravante . Embora a população adulta seja a mais afetada pelo comprometimento da saúde e mortalidade elevada, há uma série de importantes co-morbidades que aparecem cada vez mais durante a adolescênciaO fato é que a obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) é uma condição importante no comprometimento da qualidade de vida na infância. Condições crônicas de saúde exigem avaliação detalhada do comprometimento da saúde e tratamento de impacto para evitar a diminuição da sobrevida das crianças. È importante se avaliar o estado clínico e a influência do tratamento da doença da criança, para melhorar sua qualidade de vida. Uma vez que a probabilidade de conseguir uma considerável perda de peso, em longo prazo, se mostre pequena, deve-se enfatizar o desenvolvimento físico, desenvolvimento emocional e vantagens sociais de pequenas perdas de peso, podem estimular o tratamento de perda de peso das crianças.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930


Como Saber Mais:
1. A manutenção da perda de peso é um grande desafio no tratamento da obesidade?
http://pesocontrolado.blogspot.com


2. Para as crianças com IMC (índice de massa corporal) na faixa de sobrepeso, a recomendação é começar com maior prevenção para evitar que o sobrepeso evolua para obesidade? 
http://emagrecendocontinuar.blogspot.com

3. Atividades - não passar mais do que duas horas (TV, vídeo games, uso do computador, exceto para trabalhos escolares) ao dia?
http://imcobesidade.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO 

DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas:
De BMC Public HealthNora Wille; Michael Erhart; Christiane Petersen; Ulrike Ravens-Sieberer Bonnie A., PhD, RD Sarah, E. Barlow, MD, MPH, Ervin Chris, MD, FACEP, David S. Ludwig, MD, PhD Brian, E. Saelens, PhD , Karen E. Schetzina , MD, MPH , M. Elsie Taveras, MD MPH. Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Alabama em Birmingham, Birmingham, Alabama; Departamento de Pediatria da Universidade de Saint Louis, St Louis, Missouri; Coligação Diabetes Geórgia, Atlanta, Georgia; Programa de Obesidade da Divisão de Endocrinologia, do Hospital Infantil de Boston, Harvard Medical School, Boston, Massachusetts; Departamentos de Pediatria e Psiquiatria e Ciências Comportamentais da Universidade de Washington-Child Health Institute, em Seattle, Washington; Departamento de Pediatria, James H. Quillen Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Tennessee Oriente, Johnson City, Tennessee; Programa de Prevenção de Obesidade, Departamento de Assistência Ambulatorial e Prevenção, Saúde Harvard Pilgrim e Harvard Medical School, Boston, Massachusetts; Divisão de Pediatria Geral, do Hospital Infantil de Boston, Boston, Massachusetts.








Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              


Seguir no Google Buzz


15 de abril de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: NUTRIÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO NA PROTEÇÃO CONTRA O SOBREPESO, OBESIDADE, OBESIDADE INTRA - ABDOMINAL, VISCERAL, CENTRAL.

A hipótese de que o aleitamento materno tem efeito protetor contra a obesidade não é recente. Estudos mostram que crianças que recebem o aleitamento materno apresentam menor prevalência de “risco de sobrepeso” em relação àquelas que nunca foram amamentadas. As crianças que recebem o aleitamento materno exclusivo por seis meses ou mais são protegidas contra o sobrepeso, obesidade, obesidade intra - abdominal, visceral, central, ou seja, quanto maior a quantidade de leite materno recebido no início da vida, maior a proteção em relação ao sobrepeso e obesidade. Porém as crianças que apresentam um peso ao nascer maior que 3500g tem mais chances para desenvolver o sobrepeso e obesidade.

Outro fator de risco é a introdução de açúcar na alimentação, nessa fase em que a criança está formando seus hábitos, pode levar ao maior consumo desses alimentos na vida adulta. Preparações do tipo leite com achocolatado, mingau, bolacha doce e recheada, que têm sabor agradável, agradam as crianças, levando-as ao consumo em grande quantidade, elevando assim o valor calórico total da dieta e o risco de sobrepeso, obesidade, obesidade intra - abdominal, visceral, central.
Outro fator é que a mãe que trabalha tende a “agradar” a criança com alimentos altamente energéticos, como salgadinhos, bolachas recheadas, chocolates, balas, pirulitos e outros, na tentativa de “compensar” sua ausência devido ao trabalho. Pode-se concluir que, além de todos os benefícios já bastante estudados e conhecidos do aleitamento materno, agrega-se mais um, que é a proteção contra o sobrepeso e a obesidade durante toda a infância, independentemente da idade da criança, da renda familiar, do estado nutricional e da escolaridade dos pais.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
 CRM 28930 


Como Saber Mais:
1. O aleitamento materno protege contra a obesidade? http://gorduravisceral.blogspot.com

2. A introdução de doces precocemente favorece o ganho de peso?
http://aterosclerose.blogspot.com/



3. A Obesidade está relaciona a doenças cardiovasculares? http://esteatosehepatica.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.

Referências Bibliográficas:
Simon, V.G.N.;Souza, J.M.P.; Buongermino, S.; Aleitamento materno, alimentação complementar, sobrepeso e obesidade em pré - escolares.; Revista de Saúde Pública 2009;43(1):60-9.








Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Map
s:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

Seguir no Google Buzz


12 de abril de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: A COMPLEXIDADE PARA MANTER O PESO NÃO É FÁCIL,


MOTIVOS ORGÂNICOS E ESTIMULAÇÃO EXTERNAS, VISUAL, SUB-LIMINAR ETC., POR ISSO DEPOIS PERDA DE PESO, OBESIDADE. OBSERVOU-SE  DEPENDÊNCIA ALIMENTAR, SENTIAM COMO PRAZER COMPENSATÓRIO LEVANDO A DEPENDÊNCIA COMUM DE AÇÕES ORGÂNICAS DETECTÁVEIS, ATRAVÉS DE EXAMES COMPLEXOS,  PARA AVALIAR CORRELATOS NEURAIS DA DEPENDÊNCIA ALIMENTAR, COMO NO ÁLCOOL, E OUTRAS (DROGAS) SUBSTÂNCIAS TÓXICAS, INFELIZMENTE NÃO É SÓ EXERCÍCIOS FÍSICOS , ESTILO DE VIDA, E DIETAS QUE SÃO SUFICIENTES.


Na prática clínica o que se observa é que a obesidade,sobrepeso, obesidade visceral, intra abdominal evoluir para situações crônicas, como de fato é classificada as doenças desta área. Além dos fatores genéticos, doenças intercorrentes, estimulação através da mídia  compromissos profissionais, problemas psicogênicos, prazer de ser gourmet, e uma infinidade de causas que induzem o sobrepeso, obesidade a terem uma longa vida nos seres humanos. Infelizmente, a maioria dos tratamentos de obesidade não resultam na perda de peso duradoura porque a maioria dos pacientes a recuperar o peso perdido no prazo de cinco anos, reafirmam os investigadores. Pesquisadores avaliaram dados de 48 mulheres (idade média de 20,8 anos), com diferentes tipos de corpo (índice de massa corporal, 28,0) que foram registrados em um ensaio de manutenção de peso saudável. Os sintomas de dependência alimentar, para todas os participantes usando o 25-item Yale Alimentar Addiction Scale (YFAS) esta escala mede 25 itens estimuladores de alimentos saborosos ou não. 

Estes sintomas foram avaliados em relação à atividade neural de (fMRI), ressonância nuclear magnética, durante pistas de alimentos (fotos) de sinalização da entrega iminente de um milkshake de chocolate ou uma solução de controle de mau gosto, assim como durante a ingestão real de uma bebida. Em resposta à entrega antecipada do milkshake, os escores significativamente correlacionados com aumento de ativação do córtex cingulado anterior esquerdo , deixou córtex medial orbito-frontal (estruturas neurológicas) e amígdala esquerda cerebral. As mulheres que tiveram escores mais altos apresentaram maior ativação no córtex pré-frontal dorsolateral e do núcleo caudado direito( que são estruturas neurológica de controle) em resposta às sugestões da saborosa bebida antecipadas comparado com aqueles que tiveram notas mais baixas. Assim, a atividade neste local do cérebro que estimula o prazer de se alimentar com produtos saborosos, ocorre quando o desejo de parar de comer é suprimido, salientando que estes tipos de padrões também foram encontrados na dependência de substâncias tóxicas. Além disso, se certos alimentos são viciantes, isso pode explicar em parte a dificuldade em alcançar as pessoas que experimentam perda de peso sustentável. Se deixam levar por alimentos com melhores propriedades motivacionais de maneira análoga às sugestões de drogas, os esforços para mudar o ambiente atual de alimentos pode ser crucial para perda de peso bem sucedida e os esforços de prevenção. Em poucas palavras, não é fácil se manter em parâmetros normais de peso, as pessoas que superam este problema, o fazem contra todas as expectativas e merecem o nosso respeito mais profundo.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:
1. A maioria dos tratamentos de obesidade não resultam na perda de peso duradoura porque ?
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com

2. Fatores genéticos, doenças intercorrentes, estimulação através da mídia  compromissos profissionais, problemas psicogênicos, prazer de ser gourmet afetam a obesidade ?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com

3. Certos alimentos são viciantes, isso pode explicar em parte a dificuldade em alcançar as pessoas que experimentam perda de peso sustentável ?
http://obesidadeinfantojuvenil2blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.


Referências Bibliográficas:
Deborah Brauser, Max Wiznitzer, MD, professor associado de pediatria e neurologia na Universidade Case Western Reserve, em Cleveland, Ohio, e neurologistas do Rainbow Babies e UH's Children Hospital, disse à Medscape Medical News.








Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps
:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

Seguir no Google Buzz


25 de fevereiro de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: QUANTO A ATIVIDADE FÍSICA É SUFICIENTE PARA PREVENIR A PERDA DE PESO SAUDÁVEL?


PESO CONTROLADO, OBESIDADE CONTROLADA, DESCONTROLADA, SOBREPESO, OBESIDADE VISCERAL, ABDOMINAL. OS VALORES SUGERIDOS INCLUEM QUALQUER ÍNDICE DE MASSA CORPORAL!


Na pratica e se levarmos em consideração reuniões para discutirmos valores próximo do consenso, como exemplo a ocorrida no campo desta atividade em uma reunião de consenso que foi realizada em Bangkok, 21-23 de Maio de 2002, onde especialistas e jovens cientistas no campo da atividade física, gasto energético e na regulação do peso corporal, discutidos os diferentes aspectos da atividade física em relação ao problema emergente naquela época, sobre a epidemia da obesidade que acabou se instalando no mundo. O consenso a seguir foi aceito por unanimidade. "A orientação de atividade física atual para adultos de 30 minutos de atividade de intensidade moderada por dia, de preferência todos os dias da semana, é de grande importância para limitar os riscos de saúde para um número das doenças crônicas, incluindo doenças coronárias e diabetes, hipertensão arterial, dislipidemias (comprometimento do colesterol total,bom colesterol HDL, Mal colesterol LDL, triglicérides, e o avanço da compreensão o que pode representar a obesidade abdominal, visceral ou intra-central, que a cada dia que passa, incluem problemas endócrinos e metabólicos que a bem da verdade eram desconhecidos no mundo cientifico e clinico agravando sobremaneira a qualidade de vida das pessoas que sofrem deste mal. 

No entanto, para evitar ganho de peso ou recuperar essa diretriz é susceptível de ser insuficiente para muitos indivíduos no ambiente atual. Há provas convincentes de que a prevenção da reação do peso em indivíduos obesos anteriormente requeriam, aproximadamente 60-90 minutos de atividade de intensidade moderada ou menor quantidade de atividade de intensidade vigorosa. É claro que estes valores não devem ser abandonados ou valores próximos a estes, de forma orientada por profissionais da área, entretanto não existem mais duvidas que na maioria dos casos exercícios físicos, dietas, e até mesmo só mudanças de estilo de vida, façam com que reverta o problema de forma a resolver o efeito dominó acarretado por fatores metabólicos, genéticos, que embora nem sempre dominantes causam estragos importantes, e de todos os fatores silenciosos acarretados por este desastre mundial. Devemos sim, procurar profissionais experientes na endocrinologia e eventualmente em outras áreas já comprometidas, e seguirmos de forma contundente suas orientações de forma holísticas (abrangentes).Esta epidemia é incrivelmente mais grave do que podemos imaginar.

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930 

Como Saber Mais:
1.O tratamento de obesidade deve ser personalizado de acordo com as características de cada indivíduo?
http://controladaobesidade.blogspot.com

2.Os hormônios do apetite interferem na recuperação do peso após o tratamento para emagrecer?
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com

3.A obesidade infanto-juvenil compromete o crescimento da criança?

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
.

Referências Bibliográficas:
Alexy U, L Libuda, S e M Mersmann Kersting 
Instituto Research de Dortmund Nutrição Infantil, Bonn Friedrich-Wilhelms-Universität Rheinische, Dortmund, Germany,
Departamento de Estatística, Technische Universität Dortmund, Dortmund, Germany. 
European Journal of Clinical Nutrition (2011) 65, 160-166, doi: 10.1038/ejcn.2010.254.








Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              

Seguir no Google Buzz


6 de janeiro de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: COMO A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA NOS BENEFICIA EM MUITO NOSSA QUALIDADE DE VIDA:


PROCURE UMA MOTIVAÇÃO PARA MUDAR SEUS HÁBITOS DE VIDA DIÁRIOS E SAIR DO SEDENTARISMO PARA EVITAR A OBESIDADE (SOBREPESO, OBESIDADE ABDOMINAL, OBESIDADE CENTRAL, OBESIDADE VISCERAL, OBESIDADE INTRA-ABDOMINAL, SÍNDROME METABÓLICA, DIFICULDADE DE PERDER PESO) E MANTER SEU PESO CONTROLADO.




Vamos por em prática novos hábitos em nossa vida e com isto veremos os benefícios que nos proporcionam tanto na nossa saúde quanto na nossa qualidade de vida, evitando a obesidade (sobrepeso, obesidade abdominal, obesidade 
central, obesidade visceral, obesidade intra-abdominal, síndrome metabólica, dificuldade de perder peso), tais como:
1.Diminuição da pressão arterial evitando um Infarto Agudo do Miocárdio, um Acidente Vascular Cerebral, etc... 
2. Aumento da densidade mineral óssea evitando a osteoporose;
3. Aumento do bom-colesterol (HDL) e diminuição do mal-colesterol (LDL);
4. Controle do açúcar no sangue (glicose) mais facilmente; 
5. Melhora do humor; 
6. Melhora da qualidade de vida; 
7. Melhora do equilíbrio; 
8. Melhora da função cerebral devido ao aumento da circulação sanguínea cerebral; 
9. Alivio dos sintomas de artrite.


NOSSA OPINIÃO: Por mais que sejamos resistentes à prática da Atividade Física, é importante observarmos o tanto que ela beneficia nossa saúde e nos trás melhor qualidade de vida.


AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia-Neuroendocrinologista 
CRM 20611


Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930

Como Saber Mais:

1.Como perder peso com saúde?
http://queroemagrecermais.blogspot.com/


2. Qualidade de vida como conquista-la?
http://longevidadefutura.blogspot.com/


3. O que é Síndrome Metabólica?
http://metabolicasindrome.blogspot.com/

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas:
AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH.








Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

Seguir no Google Buzz


12 de novembro de 2010

ENDOCRINOLOGIA - NEUROENDOCRINOLOGIA: ATRAVÉS DE PESQUISA FOI CONSTATADO QUE 1/3 DOS ADOLESCENTES COM EXCESSO DE PESO


(OBESIDADE, OBESIDADE ABDOMINAL, OBESIDADE CENTRAL, OBESIDADE VISCERAL, DIFICULDADE EM PERDER PESO) NÃO ACREDITAM QUE ESTÃO ACIMA DO PESO IDEAL, COM O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL (IMC) AUMENTADO.


Um estudo publicado em 8 de fevereiro de 2010, mostra que para cada 3 adolescentes com excesso de peso, 1 acha que não apresenta sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade em perder peso), não acredita que apresenta problemas com excesso de peso e que necessita de tratamento.Um novo estudo mostra que quase 1/3 dos adolescentes que sob o ponto de vista médico apresentam excesso de peso, não se acha nem com sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade em perder peso). Os pesquisadores também observaram que significativamente mais meninos do que meninas, tinham idéias erradas sobre seu peso e sobre seu índice de massa corporal (IMC), que estava aumentado.Foi observado que a proporção de adolescentes com sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade em perder peso) variava de 29% a 33% entre 1997 e 2007. Estudos anteriores mostraram que a prevalência de sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade em perder peso) duplicou nos últimos 30 anos, com mais de 30% das crianças classificadas como sobrepeso ou obesas (obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade em perder peso). As crianças são consideradas acima do peso quando seu índice de massa corporal (IMC) for superior ao normal.

Percepção de peso é importante.
Os pesquisadores dizem que crianças e adolescentes que têm percepção de seu peso, que reconhecem que seu peso está acima do normal são mais propensas para a tomada de medidas para perder peso e mudar seus hábitos de vida, quando orientadas por médicos.Os resultados mostraram que o percentual de adolescentes com excesso de peso que não acreditavam que o peso estivesse acima do normal variou de 29% a 33% durante o período do estudo. Por exemplo em 2007, os pesquisadores descobriram que 0.8% dos adolescentes se achavam “muito abaixo do peso”, 1.7% deles se achavam “ligeiramente abaixo do peso”, 30% deles se achavam com “sobrepeso”, 56% deles como “pouco acima do peso”, e 12% deles como “muito acima do peso”. Em 2007, 40% dos meninos tinham idéias erradas sobre seu peso, em comparação com 23% das meninas.

AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologista - Neuroendocrinologista
CRM: 20611

Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologista - Medicina Interna
CRM: 28930

Como Saber Mais:
1. A correlação entre IMC (índice de massa corporal) e demência vascular, não teve grande significado estatístico depois de controlado o diabetes mellitus tipo 2 e as alterações vasculares, qual sua relação com o sobrepeso?
2. O que é uma dieta adequada?
3. O que é correção ortomolecular?



Referências Bibliograficas:
Por Jennifer Warner
WebMD Health News
Reviewed By LouiseChang. MD
Nicholas Murphy Edwards, MD, da Universidade de Minnesota, em Minneapolis, em Pediatria.
FONTES: Edwards, N. Pediatria, Fevereiro de 2010, vol 125: pp E452-e458. 









Contato:
Fones: 55 (11) 5572-4848 /(11)2371-3337 /(11)9.8197-4706 TIM
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002.              

Seguir no Google Buzz